Kung Fu, as 7 Virtudes Para se Tornar um Adepto

A termo adepto vem do latim adeptus, que significa “aquele que conseguiu”. Trata-se de um adjetivo que pode fazer referência a quem defende ou apoia uma determinada causa. No Kung Fu, chamamos de Sam Faat, aquele que vive o Kung Fu. Em outras palavras significa, comer, beber, dormir e pensar Kung Fu o tempo inteiro. Não existem atalhos para se tornar um adepto, senão, desenvolvendo uma série de virtudes.

Filmes de Kung Fu e apresentações de artistas marciais nos impressionam muito, não é mesmo?  Quando vemos Bruce Lee, Jakie Chan ou Jet Li executando aqueles golpes espetaculares, dá até vontade de treinar, não é verdade? A ideia por detrás dos filmes e apresentações é essa, ou seja, impressionar, para despertar o interesse do público, de que outra maneira poderíamos garantir a sobrevivência do Kung Fu em tempos de armas e de paz. Foi assim no passado com as apresentações de rua, continua sendo assim no presente e assim será no futuro.

Os filmes e apresentações nos mostram como Kung Fu é poderoso e lindo, mas, raramente, nos mostram como o processo para chegar nisso foi longo e duro, quando nos mostram isso, parece que foi somente por um ou dois dias, afinal, quem em sã consciência iria querer treinar se soubesse que levaria uma ou duas dezenas de anos, não é mesmo? O que podemos garantir sem sombra de dúvidas, é que sim, o Kung Fu é maravilhoso, e que realmente é a melhor arte marcial que existe e, também, a que mais benefícios pode nos proporcionar. Isso porque como eu sempre digo, o Kung Fu será para você aquilo que você desejar que ele seja.

Se você treina Kung Fu numa boa escola, ou está pensando em começar, precisará desenvolver no mínimo 7 virtudes para se tornar um adepto, ou seja, para viver o Kung Fu de corpo e alma (Sam Faat), caso contrário, você se tornará mais um dos muitos ex. praticantes.

1 – Disciplina

No Kung Fu, disciplina tem a ver com respeito, aceitação e obediência. Seu mestre não é seu amigo, você não deve ter liberdade com ele, você não o interrompe, não discute com ele, não discorda dele, nem o contraria publicamente. Você simplesmente deve acatar o que vir dele. Aquele que se propõe a ser um artista marcial, tem obrigação para consigo próprio de se aprimorar nas técnicas, buscar a beleza, harmonia, cuidar de sua saúde, desenvolver seu físico e equilibrar sua mente. Deve saber exigir de si próprio uma posição mais adequada de suas ações, impor uma melhor postura, saber observar e compreender, questionar-se de seus pensamentos. Aquele que se propõe a aprender Kung Fu, deve se auto educar. O progresso deve começar pela sua mente abandonando antigos conceitos. Desligar-se de preconceitos. Deve saber ouvir. A autoanalise é indispensável. Deve saber reconhecer seus problemas, suas barreiras, aceitar os desafios e perseguir a vitória. O artista marcial deve ser insaciável na busca pela perfeição. Sua mente, corpo e espírito devem se fundir, vibrarem com a energia cósmica, dela beber e transmiti-la, deve crescer a cada dia, de tudo tirar lições, conhecer a glória e a desgraça. A luz e o escuro, portanto, deve se tornar altamente disciplinado.

2 – Paciência

No Kung Fu, paciência não se trata da virtude de suportar contrariedades, incômodos e dificuldades com calma, tranquilidade e resignação, nem muito menos esperar a vida inteira para aprender algo novo. Paciência no Kung Fu é respeitar e valorizar o tempo do seu Mestre; é reconhecer as suas limitações enquanto principiante e esperar o tempo certo de cada etapa. Não é você quem sabe se está preparado ou não para prosseguir, ou se sua técnica está ou não boa, é seu Mestre. É seu Mestre quem vai conduzir seu aprendizado da maneira mais correta no tempo certo. O aluno não deve pedir ao mestre para lhe ensinar. Isso é desrespeitoso, além do mais, demonstra falta de paciência, e nesse sentido, a paciência significa compreender e valorizar o tempo do seu mestre, afinal de contas, ele tem muitos outros alunos para ensinar. Mais importante do que isso, paciência é superar a ansiedade, que é o inimigo número um da maioria dos praticantes e o que faz a maioria desistir.  A falta de paciência também faz com que muitos busquem por um aprendizado rápido pulando de galho em galho. Isso só faz a pessoa colecionar técnicas e perder mais tempo ainda. No final, ou a pessoa desiste, porque não chegou a lugar nenhum, ou pior ainda, juntar tudo o que aprendeu, inventar um estilo e começar a ensinar. No Kung Fu, a falta de paciência é a principal causa do aparecimento da picaretagem.

3 – Perseverança

No Kung Fu, perseverança significa compromisso, consistência e dedicação eterna, significa continuar treinando mesmo sabendo que poderá nunca terminar. Significa fazendo sol, chovendo ou fazendo frio, toda semana você treinar. Engana-se aquele que constantemente adia seus treinos em detrimento de compromissos fúteis. Não se engane, não existe coisa mais difícil do que recusar o convite de um amigo para sair, porque naquele dia você vai treinar. Não se iluda, pode ser muito difícil treinar num dia frio e chuvoso ao invés de ficar em casa comendo pipoca e assistindo TV. São nesses momentos que mais sua perseverança será testada. Você falta ao treino uma vez, dali a pouco falta novamente, depois de um tempo começa a faltar frequentemente, começa a ficar desmotivado e desiste.

4 – Tolerância

Tolerância é um termo que vem do latim tolerare que significa “suportar” ou “aceitar”. A tolerância é o ato de agir com condescendência e aceitação perante algo que não se quer ou que não se pode impedir. Seu Mestre não é Deus, muito menos santo, ele também comete muitos erros. Seu Mestre é uma pessoa normal, torce por determinado time de futebol; segue uma religião ou é ateu; gosta de certo partido político ou tem um político de estimação; tem a sua própria ideologia, ou seja, todas essas coisas que diferem as pessoas umas das outras. Portanto, a falta de tolerância, tanto para aceitar a personalidade do seu mestre quanto a de seus companheiros de treino certamente impedirá que você continue treinando por muito tempo. Kung Fu significa habilidade adquirida através de trabalho duro, portanto, no Kung Fu a tolerância é um princípio básico, sem ela você não conseguirá suportar tudo que terá que enfrentar na sua dura jornada.

5 – Lealdade

A lealdade é um acordo assumido conscientemente entre duas pessoas que implica em cumprir um compromisso, mesmo que a situação se torne adversa. Trata-se de uma obrigação que se tem com o próximo, portanto, essa é uma das virtudes mais importantes na relação entre mestre e discípulo. Ao seu mestre você deve lealdade, e ser leal não é somente acatar o que vier dele, mas sim, expressar isso em palavras, atos e pensamentos, com satisfação plena, do tipo somente experimentado pelos apaixonados quando não querem saber de mais ninguém. Na relação Mestre/Discípulo, essa atitude de amor e plenitude manifesta-se no sentido de não querer aprender de mais ninguém coisa alguma, uma vez que o discípulo se encontra perfeitamente satisfeito com a quantidade e qualidade do ensinamento que tem. Não nutre a menor curiosidade sobre o que os outros poderiam ter a lhe ensinar, da mesma maneira que a esposa ou o marido fiel não alimenta a mínima curiosidade sobre as carícias com que possam lhe acenar os melhores conquistadores. É considerado falta grave de disciplina, ética e educação visitar outros mestres do mesmo ou de outros estilos. Visitar outro Mestre sem a indicação expressa do seu próprio, significa que você não está cem por cento com ele; que não está satisfeito com seus ensinamentos; que você tem dúvidas do que ele ensina e quer comparar com o ensinamento do outro. Lealdade também significa que o discípulo tem o dever de defender seu mestre. É inadmissível que um discípulo fique calado ouvindo ataques ou injúrias a sua escola ou ao seu Mestre sem defendê-lo. Tolerância e silêncio neste caso, seriam indícios de deslealdade e covardia.

6 – Motivação

A motivação é uma espécie de energia interior que nos ativa psiquicamente, que nos coloca em funcionamento na vida e em estado de fluxo, ou seja, motivação é aquilo que nos impulsiona para uma determinada ação. É uma força que ativa a energia psíquica e que movimenta o organismo humano, provocando um determinado comportamento. Podemos considerar que a motivação é uma das coisas mais importantes em nossa vida, porque é ela que nos dá uma coragem inabalável, que nos ajuda a lutar, e que nos ajuda a vencer e que nos leva a ter sucesso e a conquistar os nossos destinos, nossas metas, nossos objetivos, nossos sonhos ou nosso propósito de vida.  A motivação é fundamental para todos nós, pois, ela norteia os nossos sucessos e as nossas realizações, ela é a mãe de tudo aquilo que realizamos e é, também, aquilo que comanda toda a nossa evolução. O limite de nossas possibilidades é o limite da nossa motivação, consequentemente, sem a motivação, o praticante de Kung Fu jamais chegará a nenhum lugar.

7 – Determinação

A determinação é uma força de vontade suprema baseada na convicção absoluta de alcançar o que se deseja. Portanto, para ser determinado é necessário possuir um objetivo, um sonho ou um propósito de vida definido. A própria motivação é consequência desse objetivo, desse sonho ou desse propósito de vida, essas coisas são as fontes donde tiramos nossa energia para se seguir em frente. Uma pessoa sem objetivo, sonho ou propósito de vida não tem motivação e, consequentemente, não tem determinação, portanto, se você não tem um objetivo, um sonho ou um propósito de vida, não conseguirá superar as adversidades que encontrará no caminho da sua jornada para se tornar um adepto.

O que você deve fazer para vencer todos esses desafios e se tornar um adepto? Vou responder essa pergunta de um milhão de dólares da maneira mais fácil que pude imaginar, através de três exemplos.

Exemplo 1 – Vamos supor que seu objetivo seja conquistar a faixa preta, nesse caso, sua primeira meta, seria concluir a faixa branca, depois disso, conquistar todas as outras até a preta. Porém, o que aconteceria depois disso? Provavelmente se você não definisse nenhum outro objetivo, fatalmente você se desmotivaria e desistiria.

Exemplo 2 – Vamos supor que você sonhe se tornar um Mestre, nesse caso, sua primeira meta, seria concluir a faixa branca, depois disso, conquistar todas as outras até concluir a última que no caso da TSKF é a faixa preta Sétimo Tuan. Porém, o que aconteceria depois disso? Provavelmente se você não definisse nenhum outro objetivo, fatalmente você se desmotivaria e desistiria.

Exemplo 3 – Vamos supor que o seu propósito de vida seja ter a maior, melhor e mais bem-sucedida escola de Kung Fu de todos os tempos, nesse caso, adquirir conhecimentos, treinar, mudar de faixa, começar a dar aulas, montar uma escola, concluir o estilo, organizar campeonatos e eventos, escrever livros, dar palestras e assim por diante, seriam apenas metas a cumprir rumo ao seu propósito de vida.

O propósito de vida pode muitas vezes não ser alcançado em vida. Algumas vezes pode ser alcançado e reconhecido após a morte, outras vezes pode nunca ser alcançado. Porém, o que realmente importa é a função que ele exerce na vida do indivíduo enquanto fonte inesgotável de energia para prosseguir lutando.

Conclusão, quanto mais difícil for seu objetivo, sonho ou propósito de vida, mais cedo você se tornará um adepto. Em outras palavras, quanto mais difícil for seu objetivo, sonho ou propósito de vida, mais tempo você permanecerá treinando Kung Fu. Recentemente no Facebook alguns ex. sócios e ex. instrutores fizeram piadas e riram de mim por causa do meu propósito de vida “Tornar a TSKF a maior, melhor e mais bem-sucedida escola de todos os tempos”. O que posso dizer? Simples, são ex. sócios, ex. instrutores e ex. praticantes. Rs.

Grão-Mestre Gabriel Amorim

Mestre Gabriel
Mestre Gabriel

Praticante de Kung Fu desde 1980, fundou a TSKF Academia de Kung Fu em 1996, graduado Mestre pela Confederação Mundial de Kuoshu. É escritor, palestrante, ocultista e estudioso da entidade humana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *